domingo, 27 de maio de 2012

Os contos proibidos do marquês de Sade

“Ler é minha salvação... Eu me coloco nas histórias dele. Como cada meretriz, como cada assassina. (pausa). Se não fosse tão má nos livros, aposto que eu não seria tão boa na vida real.”

▬ Madeleine, ao ser questionada pela ajuda dada ao Marquês de Sade na publicação de seus livros ▬

Do Filme: [“Os contos proibidos do marquês de Sade]

PROVOCAÇÕES FILOSÓFICAS;

"Gente não nasce pronta e vai se gastando; gente nasce não pronta e vai se fazendo".

[provocações filosóficas]

o jovem. e seus pais

[...] "Todos os conselhos que os pais dão aos jovens têm por objeto impedir-lhes que sejam jovens".

(Francis de Croisset)

OBS: ler A HIPOCRISIA DO CONSELHO de François de La Rochefoucauld

o ato psicanalítico é particular

"Na psicanálise não há um saber prévio a ser aplicado em todos os casos, é sempre um a um. Tampouco se transmite o ato psicanalítico,pois este é sempre uma criação particular,é impossível de ser generalizado e é muito mais vinculado à ética do que à técnica.” Quinet,“A estranheza da psicanálise”,pág, 55.

sexta-feira, 25 de maio de 2012

basta;

"Eu te seguia enquanto você jogava comigo e observei que eu não tinha tanta consciência disso. Mas tem uma hora que a gente cansa. Dei um basta em todos os [meus] atos cegos e palavras que justificavam suas ações. Reinventei-me".

ultima vez;

[...] Bem, me pareceu que algo morreu, porque eu sabia que aquela era a última vez.

CONFESSO.

“Tem muitas coisas que não entendo” ▬ confesso. Alguns seres humanos parecem carecer de essência, de emoção, de empatia. Alguns seres humanos são secos, frios, indiferentes. E ai, eu me pergunto: “Até que ponto uma pessoa é influenciada e, consequentemente, determinada por sua historia?” Que vida miserável, quanta pobreza de investimento, de carinho, de olhar... De Amor. Isso trás angustia se pensarmos que cada um de nós já esteve em contato profundo com sua essência. “Olhem as crianças” ▬ disse. Que espontaneidade e brilho maravilhoso no olhar. Como é possível perder algo tão lindo quando se cresce? Como produzir um novo caminho? Como fazer que estas palavras toquem para além do coração, que toquem a alma humana.... Eu tava aqui pensando...

[EU] código de barras

Numa era onde se é mercadoria e perante os tais nomeados "direitos" somos todos iguais. Ainda há a tentativa de marcar uma diferença, uma particularidade em algo que é considerado como série.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

a vida é um livro !!

Quando a gente percebe que a vida é um livro, e que não vale a pena sofrer por uma página, tudo muda.

né;

Solteiro por opção? Claro que não! Solteiro por falta de opção mesmo, opção que preste, não quero qualquer uma, porque não sou mais um. Minha fila não voa, porque minha catraca é seletiva.

(Reacreditar)

, me faça acredita.

Só me fala que vai me aturar. Aturar todas as minhas crises de ciúmes, meus momentos - não tão raros - sem paciência, as minhas desconfianças e meus surtos de insegurança. Aturar meus dramas, minhas teimosias, minha arrogância, minhas piadas sem graça e o meu não-romantismo. Aturar todos os meus tipos de provocação, meu amor por outras pessoas, minhas mudanças inconstantes de humor e de temperamento. Aturar minha mente confusa, minha memória irritante, minha sinceridade exagerada. Aturar quando eu falar que te amo mais e também quando eu não falar que te amo.

euhoje;

Quando tá tudo indo bem, eu sempre tenho a sensação de que alguma coisa, no fundo, tá muito errada. Sei lá, é como se um relacionamento saudável fosse impossível no meio dessa merda toda, e quando eu não posso ver os erros, eu fico com essa certeza de que estou sendo enganado*. E fico procurando, investigando, revirando o mundo pra encontrar os vacilos, mentiras, motivos pra terminar. Percebe a loucura? É como se ninguém pudesse me amar e ponto, de tanto colarem o adesivo de ‘trouxa’ na minha testa, qualquer carinho me parece suspeito. Percebe a tortura? Fico oscilando entre confiar e desconfiar, querendo viver uma história leve e sempre me afundando nas minhas neuroses e cicatrizes. E mulher* nenhum aguenta isso, mulher nenhuma percorre meu labirinto até o fim. Mas como eu poderia me entregar, sem antes saber se posso ir inteiro*? Como posso confiar de novo, sem saber se vai ser realmente diferente? Quero alguém que rompa meus lacres, não que me lacre mais! E sigo estragando tudo, só pra não ficar pior depois. Quando elas finalmente se cansam e caem fora porque eu sou louca de pedra, eu fico satisfeita. Volto pra fossa por um tempo, sem mistérios, já conheço bem o lugar e a porta de saída. E penso “Viu, sabia que eu tava certo”. Talvez eu até esteja errado, mas que se dane. Se uma pessoa não tem paciência nem pra conquistar minha confiança e afastar meus medos, o que eu posso esperar então?
 
▬ Tati Bernardi.

Percebi o quanto isso estava mexendo comigo

Percebi o quanto isso estava mexendo comigo à partir do momento que comecei a me encaixar em toda música que tocava no rádio, todas elas me lembravam você, bom ou ruim, você estava lá em cada uma delas.

Desculpa.

“Pedir desculpas nem sempre significa que você está errado e a outra pessoa certa. Ás vezes significa somente que você valoriza mais o seu relacionamento com a pessoa do que seu ego.” — (via reacreditar.tumblr)

verdade


Homens aprendam: quando uma mulher te fizer uma pergunta, responda a verdade. Tem 99% de chances dela estar perguntando já sabendo a verdade.

[ps: Mulheres aprendam, alguns homens também são assim!]

faltasaudade.saudadefalta;

Sentir falta é diferente de sentir saudade. A saudade bate, agonia, estremece. A falta congela, chora, entristece. A saudade é a certeza que a pessoa vai voltar. A falta, é o querer ter de volta, mas saber que não vai ter.

na boa?

Sou isso hoje… Amanhã, já me reinventei. Reinvento-me sempre que a vida pede um pouco mais de mim. Sou complexo*, sou mistura, sou homem com cara de menino… E vice-versa. Me perco, me procuro e me acho. E quando necessário, enlouqueço e deixo rolar…

sábado, 19 de maio de 2012

Diferenças?

O rouge virou blush. O pó-de-arroz virou pó-compacto. O brilho virou gloss. O rímel virou máscara incolor. A Lycra virou stretch. Anabela virou plataforma. O corpete virou porta-seios. Que virou sutiã. Que virou silicone. A peruca virou aplique… interlace… megahair… alongamento. A escova virou chapinha. ‘Problemas de moça’ viraram TPM. Confete virou MMs. A crise de nervos virou estresse. A purpurina virou gliter. A tanga virou fio dental. E o fio dental virou anti-séptico bucal. Ninguém mais vê: O à-la-carte porque virou self-service. A tristeza agora é depressão. O espaguete virou miojo pronto. A paquera virou pegação. A gafieira virou dança de salão. O que era praça virou shopping. A areia virou ringue. O LP virou CD. A fita de vídeo é DVD. O CD já é MP3. É um filho onde eram seis. O álbum de fotos agora é mostrado por e-mail. O namoro agora é virtual. A cantada virou torpedo. E do ‘não’ não se tem medo. O break virou street. O samba, pagode. O carnaval de rua virou Sapucaí. O folclore brasileiro, halloween. O piano agora é teclado, também. O forró de sanfona ficou eletrônico. Fortificante não é mais Biotônico. Polícia e ladrão virou Counter Strike. Fauna e flora a desaparecer. Lobato virou Paulo Coelho. Caetano virou um pentelho. Elis ressuscitou em Maria Rita. Raul e Renato. Cássia e Cazuza. Lennon e Elvis. A AIDS virou gripe. A bala antes encontrada agora é perdida. A violência está maldita. A maconha é calmante. O professor é agora o facilitador. As lições já não importam mais. A guerra superou a paz. E a sociedade ficou incapaz. De tudo. Inclusive de notar essas diferenças.
— Luís Fernando Verissímo.

Eu sou jovem, não palhaço de circo.

Adultos não me levam a sério. Eles me tratam como se eu fosse idiota. Afirmam o tempo todo que eu não sei o que é sofrer. Na boa, parem. Parem com esses discursos pré-históricos que não se adaptam a mais ninguém. Ao invés de ficarem jogando na minha cara que trabalham, comecem a incentivar o meu sucesso. Desde que me entendo por gente, passo mais de cinco horas por dia dentro de uma sala de aula. Todo esse esforço para orgulhar os meus pais. Quem disse que eles reconhecem? Hunf, vai sonhando. Há dias em que eu copio tanta matéria do quadro negro que surgem calos de trabalhador nos dedos. Não uso a força braçal, mas… Coitadinho do meu cérebro. Sai do colégio cansado, pensando em assuntos que talvez eu nunca use na minha vida. Cansei de carregar muita culpa. Os exemplos para o futuro não somos nós, os adolescentes. Quem ensinou a matar, a roubar e a cometer um monte de besteiras? Adivinhem…? Adultos, né. Estou jogando um pouco a carga nelas para ver se me livro dessa sensação de nunca acertar. Eu busco um futuro que se encaixe exclusivamente pra mim. Adultos detestam isso. Eles querem que fiquemos pensando neles também. Eu sei que vocês querem um diploma de faculdade mais para mostrar aos seus pais do que pela profissão mesmo. A maioria seria viajante, escolheria uma profissão super divertida. Jovens não são escravos, mas sinto que às vezes possuímos correntes nos pés. Correntes imaginárias que nos prendem a ter toda a liberdade que tanto sonhamos. Não peço bebida liberada em todos os locais que eu vá, ou um monte de ficantes ao meu redor. Peço privacidade. Menos pressão. Estão muito preocupados em me usar como uma ferramenta para esfregar nos outros realização profissional. Sempre envolvendo dinheiro e mais dinheiro, quando minha prioridade é exercer uma profissão prazerosa. É formar uma família descolada. Não tenho planos centrados, entendem? Não sei quantos filhos terei. Nem ao menos sei se quero ter algum. Casamento? Sei lá. Quero e não quero. Tudo ao mesmo tempo. O que eu quero é ter o direito de dar minha opinião sem que fiquem me zoando e me chamando de infantil. Quero ter espaço nesse mundo. E não um espaço apertado, de ônibus lotado. Quero um lugar que dê para eu respirar e sentir que estou agindo de forma certa. Vocês, adultos, podem até tentar impedir minha revolução. Que pena. Não irão conseguir. Tenho formação de primeira em superar obstáculos e vencer batalhas. Tenho mais experiência e sabedoria que muitos idosos do século passado. Como consegui isso? Vivendo! Um ano, um simples ano nos ensina muitas coisas. Não é mais como antigamente, que os fatos ocorriam devagarzinho e as notícias demoravam a chegar. Sou descendente do Flash, uma criatura veloz que sonha e pensa alto… Sem voar demais. Não vou lutar corpo a corpo para provar a minha capacidade. Está escrito na minha testa que possuo grandes objetivos. Que minhas metas não se baseiam em riqueza e amor. Pretendo pegar essa maré de azar de hoje e transformá-la numa onda de sorte no futuro. Não morram, por favor. Estejam vivos para assistir o meu triunfo. Fiquem com os olhos bem abertos, pois eu ainda irei surpreender vocês. Não duvidem disso.


— Com licença, quero fazer a diferença. Mayne Silva
4 hours ago · 290 notes · reblog
via outonizei · (© linhasgastas)

.meu. o d n u m.

Porque no final das contas, o meu mundo sou eu quem faz. (:

CRACK.


CRACK.


me lembra aquelas biscoitos que minha vó fazia no forno nas tardes de domingo. Eu os mordia e me divertia com o barulho de crack crack crack. Bons tempos.

(:

uau !

Eu não faço a menor idéia de como esperar você me querer. Porque se eu esperar, talvez eu não te queira mais. Eu não queria ir embora e esperar o dia seguinte porque cansei dessa gente que manda ter mais calma. E me diz que sempre tem outro dia. E me diz que eu não posso esperar nada de ninguém. E me diz que eu preciso de uma camisa de força. Se você puder sofrer comigo a loucura que é estar vivo, se você puder passar a noite em claro comigo de tanta vontade de viver esse dia sem esperar o outro, se você puder esquecer a camisa de força e me enroscar no seu corpo para que duas forças loucas tragam algum equilíbrio. Se você puder ser alguém de quem se espera algo, afinal, é uma grande mentira viver sozinho, permita-se. Eu só queria alguém pra vencer comigo esses dias terrivelmente chatos.

— Tati Bernardi

.me too;

Que eu possa tomar banho de cachoeira. Que eu seja a vontade de rir. Que eu possa chorar ao assistir filmes. Que transforme a raiva em vontade de me entender. Que eu possa soltar os vaga-lumes que prendi em potes. Que eu me lembre de ser feliz enquanto ainda estou vivo.


— Fabrício Carpinejar. (via m-i-l-o-n-g-a)

[respondarápido]

E eu ?

Olhei-a no fundo dos olhos pela ultima vez. [...] passou um flash back naquele momento, de todos os carinhos e sorrisos que tínhamos compartilhado juntos. Daquele dia pra cá, não tenho mais o mesmo brilho nos olhos. Me tornei vazio.


— Tiago Barbosa

.... e eu ? perdi o véu que estavam sobre meus olhos. construirei planos novos.



começarei do zero (:

Meus sonhos foram destruídos por pessoas que me faziam sonhar todos os dias.

— Tiago Barbosa (via poetadoalem)

[Hoje, amanhã, sempre]

Me prove que você é diferente. Me mostre que por você vale a pena lutar.


▬ Chris Drew

um fato

Me diz, o que faz sentido quando você acorda? Não me diga que são os passarinhos cantando na janela do seu quarto.

Matheus Oliveira , via aluguefelicidade · (© umfoda-seprasociedade)

The world. Ingredients: mostry idiots

o meu também.

Meu erro foi pensar que você era perfeito, ter me posto como o problemão de nós dois o tempo todo. Admirava-te tanto a ponto de me rebaixar e tentar todos os dias ser uma pessoa diferente, uma pessoa melhor. Burrice. No final quem fez tudo errado foi você. Tu foi perfeito enquanto as coisas estavam ao seu alcance, enquanto estava tudo bem e fácil pra seguras as rédeas. Foi só um probleminha aparec...er, uma coisa maior que você e seu ego inflado tentar nos derrubar que você saiu correndo que nem um cachorrinho assustado. Agora eu sei que não devo rebaixar-me pra ninguém. Sei que, se quiser ser feliz de verdade, não precisarei mudar nem ficar tentando fazer tudo certinho e tal. Por que, se não for o certo, se não for pra dar certo, conseqüentemente um dos dois irá errar, ou o destino entrará todo fanfarrão e estragará as coisas. È simples: o que não é pra ser meu não vai ser. Então agora o negócio é deixar rolar e só. Sem ficar me preocupando se ele vai achar ou não o que eu penso errado. E enquanto alguém que me aceite assim não aparecer, eu vou saindo com o meu amor, o amor próprio. Vivendo comigo mesma. E caso os errados aparecerem, não vou sofrer mais não, sabe, errado é diversão. O tempo é curto demais pra ficar chorando por qualquer babaca que não tem o mínimo de coragem pra enfrentar uma mulher de verdade. " - Aline Pôpe (via amor-e-rebeldia)


[pô a mina mandou benzão no post] (:

o muleque sabe o que diz (:

"De longe é fácil formar opinião. É muito fácil dizer que sou isso ou aquilo, taxar adjetivos que não me servem. Mas saiba de uma coisa; de perto ninguém é normal." - Querido John 

verdade, quem nunca?

“Eu sei que vou te fazer falta. Sei que não sou inesquecível, mas também sei que não sou tão fácil assim de se esquecer. Sei que vai deixar de ouvir Adele e Marron 5, eles vão te causar nostalgia, vão fazer você lembrar de mim. De quando te disse para ouvi-los. “A verdade nua e crua”, “Amizade colorida”, “Um sonho possível”… Esses filmes com certeza você não irá mais assistir, não sem se lembrar de mim. Não sem se lembrar dos beijos que trocamos enquanto assistíamos no sofá da sua sala. Sei que vai sentir a minha falta quando estiver nos teus lugares preferidos. Vai se lembrar de quando esteve ali, comigo. Da vez que pediu a sua comida preferida e como eu fingir gostar só pra te agradar. As tuas noites de sábado não serão mais as mesmas. Não terá mais minha companhia. Não iremos sair de mãos dadas por aí sem rumo, como fazíamos. As suas tardes de domingo sempre irão parecer mais longas, mais tediosas, mais solitárias. E quando a noite chegar… Sem perceber, sem querer… Sei que vou passear pela sua mente e por um momento de fraqueza, talvez, você vai desejar não ter me perdido.”

~ Querido John (via querido—john)

anota isso aí;

“Se o homem realmente gosta, ele vai até o inferno por você. Ele vai sim, e ainda abraça o capeta se for preciso. Sabe por quê? Porque homens são previsíveis, se eles querem, eles querem, se não querem, não querem. (…) Homem é tudo igual. Eu sei, é clichê, mas é a mais pura verdade. Quando o cara quer, não tem distância, problemas, família, trabalho, tempo, futebol, estudo, mãe, barba por fazer, celular sem bateria, chuva, temporal, falta de dinheiro que o impeça de estar com você. É simples. É a realidade.”

~ Tati Bernardi (via 27-06)
Source:reinventado

terça-feira, 15 de maio de 2012

Porque calando;

Porque calando nem sempre quer dizer que concordamos com o que ouvimos ou lemos, mas estamos dando a outrem a chance de pensar, refletir, saber o que falou ou escreveu.


Carlos Drummond de Andrade

saudade e fome;

Saudade é um pouco como fome. Só passa quando se come a presença. Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco: quer-se absorver a outra pessoa toda. Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida.


Clarice Lispector

segunda-feira, 14 de maio de 2012

ato fallho;

"O ato falho é falho em relação a consciência, mas não é falho em relação ao desejo.' Lívia Garcia-Rosa

o que é um ato falho?

um ato falho passa a ser compreendido como tal pelo paciente se, através da pontuação do analista, o paciente passa a consentir ao inconsciente, passando a supor que ele não ocorreu ao acaso, mas estava em outra instância da qual desconhece.


domingo, 13 de maio de 2012

um fato,

Eu não sei colocar pontos finais, eu não sei acabar com algo, eu não sei excluir alguém da minha vida."


Clarice Lispector.

eu também gosto;

Eu gosto das pessoas que param para escutar. Que gostam de abraços, que conseguem amar. Gosto de pessoas que riem de modo estranho, choram escondidas. Gosto de pessoas que não se escondem atrás de máscaras, pessoas que são fortes, pessoas que sempre seguem em frente. Gosto de pessoas que gostam de pessoas. Gosto de pessoas que sabem o motivo de uma lágrima, que estão sempre por perto. Gosto de pessoas que nunca se vão, de pessoas que ficam, que tentam, que conseguem."

Tati Bernardi

me [do inglês eu] escrevendo;

A minha escrita ta mudando. Ou será eu?

minha história;

É bonito quando você começa a contar a sua história e começa a perceber o quanto você mudou, avançou, evoluiu... Da força para continuar.

Eu hoje,

Se fosse só no domingo... Fico pensando em coisas sempre. Nas coisas que perdi, que desejei ,que me foram roubadas, onde eu estou hoje, onde quero estar amanhã, o que faço por mim mesmo. O que fiz para contribuir com uma discussão, em quantas pessoas já tentei me completar. Os meus medos, ansiedades, angústias. To sempre em movimento, escrevendo, falando, discursando. Em busca do que eu realmente... eu sou... Isso vem na minha cabeça de forma fácil, embora às vezes complicada. É a angústia que me faz produz. E por incrível que pareça, isso toca os outros, de uma forma que eu não sei explicar. Talvez, só talvez, esse ponto que aparece aqui, também possa estar em quem está do lado de lá, lendo isso.


- por: André Nascimento

Escrever II

"Escrever pelo menos, para mim, é uma forma de lidar melhor com os sofrimentos, com as angústias. Ajuda às vezes...Sabe? uma parte de você vai junto e outra, permanece..."


por: André Nascimento.

quinta-feira, 10 de maio de 2012

O Estranho em psicanálise.

"O Estranho" (1919), Freud cita Schelling, afirmando que "estranho [unheimliche] é o nome dado ao que deveria ter permanecido secreto e escondido, mas que veio a luz". (p.46).

Do livro: Mito e Psicanálise. Psicanálise passo a passo - 36.
Autora: Ana Vicentini de Azevedo.
Editora:  Jorge Zahar.
Ano: 2004.
Rio de Janeiro: RJ.

. pra nunca esquecer;

“Chorar não resolve, falar pouco é uma virtude, aprender a se colocar em primeiro lugar não é egoismo. Para qualquer escolha se segue alguma consequência, vontades efêmeras não valem a pena, quem faz uma vez, não faz duas necessariamente, mas quem faz dez, com certeza faz onze. Perdoar é nobre, esquecer é quase impossível. Quem te merece não te faz chorar, quem gosta cuida, o que está no passado tem motivos para não fazer parte do seu presente, não é preciso perder pra aprender a dar valor, e os amigos ainda se contam nos dedos. Aos poucos você percebe o que vale a pena, o que se deve guardar pro resto da vida, e o que nunca deveria ter entrado nela. Não tem como esconder a verdade, nem tem como enterrar o passado, o tempo sempre vai ser o melhor remédio, mas seus resultados nem sempre são imediatos”.


— Charles Chaplin.

terça-feira, 8 de maio de 2012

Arte e Psicanálise

"A tendência do neurótico é colocar um quadro em sua janela e constituir assim, sua realidade a partir de sua fantasia, sem, no entanto dar-se conta disso. É o que podemos ver em certos quadros de René Magritte, por. ex. " A condição humana",que desvela a fantasia na janela que se abre na paisagem da realidade do sujeito. Antonio Quinet, "Um olhar a mais", Zahar, p. 162. Via O que responde o psicanalista? Ética e clínica. René Magritte.

sábado, 5 de maio de 2012

Aprendi.

"Costumo dizer que quando estamos muito tristes, com a alma triste até a morte, é como se estivéssemos atravessando um desfiladeiro em uma corda bamba. O que tem embaixo é um Abismo, e o que está acima é o Céu. Se você olhar pra baixo, você verá o Abismo.
O Abismo atrai o olhar, mas o Abismo é morte certa, e ao olhar para ele você pode entontecer e cair. Portanto, nunca olhe para o Abismo. Mas também não olhe para o Céu. O Céu é como um sonho, e ele pode estar belíssimo, muito azul, com um Sol radiante ou repleto de estrelas, não importa: não olhe para o Céu, por que de tão belo ele pode fazer você esquecer de que precisa manter o equilíbrio e seus pés bem firmes na corda.
Desta forma, eu te digo: o único lugar para o qual você deve olhar é para a frente, onde está o Horizonte. O Horizonte é onde está tudo o que você pode descobrir, viver e alcançar. Basta seguir em frente.
Se você olhar para trás, poderá ver teus familiares e amigos dizendo “siga em frente”. Mas se não puderes ouvir isto, concentre-se em teus pensamentos, por que é na verdade o que você quer: Seguir em frente!Então apenas mire o horizonte, mantenha teus passos bem firmes e você atravessará o desfiladeiro, onde do outro lado haverá um mundo, pessoas e uma vida que esperam, sinceramente, que você siga em frente."

perdi mais uma vez, e não foi so palavras, foi momentos, pensamentos; sentimentos. Perdi parte de mim.

Um encontro. Carinhos com direito a trilha sonora e sorrisos em um ônibus numa cidade grande. Um fim de tarde comendo um sanduíche enorme em uma lanchonete qualquer numa praça infelizmente pouco frequentada em um bairro nobre da capital. Na grama, sob o céu estrelado e alguns coqueiros que olhados de baixo para cima, compunham um ângulo novo de se olhar a vida. Carinhos e sorrisos. Sem contar a vista do mar, a praia, as estrelas, os abraços, beijos, as palhaçadas e gozações. Lá não havia tempo, não havia nenhum “EU” e nenhum “VOCÊ”, havia somente um “NÓS”. E HOJE, a paisagem perdeu a cor. Você consegue **SENTIR** isso? E como diria o [meu] Pequeno Príncipe: Consegue lembrar o que é SER como uma criança?

quarta-feira, 2 de maio de 2012

sujeito-ator;

(...) na histeria, o sujeito-ator interpreta a cena original de forma que esta não é reconhecida nem por ele mesmo. Ele pode até se dar conta depois, mas o texto e a mise-en-scéne são inconscientes. O espetáculo da representação é da ordem do imaginário. E o gozo do ator e do histérico que explode no palco é bem da ordem do real."

▬ Antonio Quinet